Lição IX                                                                                                                27 de Novembro

COMO POSSO CRESCER EM CRISTO?

Texto da lição: Jo 17:1,17,19; Rm 6:19-22; 2 Pe 1:5-8; 1 Ts 5:23

Leituras diárias:

Segunda: Rom 12:1-2                  Quinta: João 16:7-15
Terça: 1 Cor 6:9-20                       Sexta: 1 Pe 2:1-12
Quarta: João 15:1-17                    Sábado: Judas 20-25

Leitura devocional: Um bom soldado - 2 Timóteo 2:3-4

Texto áureo: “Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.” (2 Pedro 3:18). 

INTRODUÇÃO: A vida de um crente em Jesus pode ser comparável à descrição de uma boa história: existe um início encantador que, depois, gradualmente, se vai desenvolvendo até atingir o seu clímax. No fim da história, completado que seja todo o processo, é suposto que o crente tenha crescido na medida da estatura perfeita de Cristo. 
A maior parte de nós, crentes, está, mais ou menos, no meio da sua história. Ou, talvez, para alguns, a sua história humana já esteja mais perto do clímax do que podem imaginar… Mas, o importante é que com cada ‘página’ adicionada possamos crescer e amadurecer no sentido do alvo supremo que o Senhor tem para cada um nós.
Doutrinariamente, essa transformação que todos vamos experimentando é chamada santificação - um processo no qual existe uma parte que só Deus pode realizar e outra que é da responsabilidade do crente. 

I – SEDE SANTOS (Jo 17:1a, 17, 19) 

Na esfera própria deste nosso estudo bíblico, não temos que nos envolver em grandes expressões teológicas. O mais importante é sabermos que Deus tem, realmente, um plano para cada uma das nossas vidas sempre com o objectivo último de motivar o nosso crescimento espiritual e a Sua glória. 
O conceito bíblico de santificação. Jesus orou pelos Seus discípulos dizendo: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade (v. 17). Santificação é, pois, algo que Deus opera no crente. O Senhor não só nos salva pela Sua graça e mediante a nossa fé, mas quer também melhorar a qualidade da nossa vida espiritual. De uma forma simples, podemos dizer que santificação é um processo de aperfeiçoamento através do qual a vida do crente vai sendo cada vez mais separada do mundo pecaminoso e dedicada, ou consagrada, ao Senhor. 
Depois de um crente ter aceitado Jesus Cristo como seu Salvador pessoal (lição 7), Deus inicia nesse seu filho um processo de mudança que tem como padrão o carácter de Jesus. Notemos a oração do apóstolo Paulo a favor da igreja em Colossos: “Por esta razão, também nós, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e entendimento espiritual; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda a boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus” (Colossenses 1:9-10). E também o apóstolo Pedro exorta: “…Segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento (1 Pedro 1:15). 
A obra divina na santificação. Tal como em outras áreas da salvação, a santificação é operada de modo duplo, ou seja: há uma parte que pertence a Deus e só Ele pode desempenhar e há outra que pertence ao crente e pela qual este é responsável. O apóstolo Paulo escreveu aos cristãos de Tessalónica: “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará” (1 Tessalonicenses 5:23, 24). 
Também na ilustração da videira e dos ramos, em João cap. 15, Jesus sublinha a importância de os Seus discípulos permanecerem n’Ele - “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (João 15:5). Somente com a ajuda de Deus podemos viver em plenitude a vida cristã. Ele faz por nós o que, sozinhos, não podemos fazer: santifica-nos. 

II – CRESCENDO EM SANTIDADE 

Não obstante a obra divina na santificação do crente, este também é responsável pelo processo da santificação, particularmente no exercício da sua fé na obra redentora de Cristo. Notemos o que diz a Escritura: “…Para lhes abrires os olhos e os converteres das trevas para a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em mim” (Actos 26:18). 
O crente também vai sendo santificado mediante a forma persistente como ouve, lê, estuda, medita e memoriza a Palavra de Deus. Como já vimos, Jesus intercedeu, em oração pelos Seus discípulos, dizendo: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (João 17:17). E também o autor da Epístola aos Hebreus refere: “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” (Hebreus 4:12). Na medida em que os nossos corações estiverem receptivos, Deus falar-nos-á mediante a Sua Palavra e assim iremos crescendo em santificação. 
A participação humana no processo de santificação pode ser resumida em três expressões bíblicas que devem verificar-se em nossas vidas:
Submissão ao Senhor (veja Romanos 6:19-22). Na vida cristã é impossível ser “neutro”. Não podemos dizer que servimos a Deus, sendo, por assim dizer, escravos do pecado. Não significa isto que o crente não possa pecar. Mas, porque agora pertence a Deus, ele vai submetendo cada vez mais a sua vontade e tendências humanas ao plano divino, permitindo assim que Deus realize a Sua obra na transformação da “vida velha” (cf. vs. 19 e 22). Também em Romanos 12:1-2, o apóstolo Paulo apresenta a necessidade do crente se apresentar diante do Senhor como um “sacrifício vivo, santo, e agradável a Deus”. Submissão ao Senhor é, pois, algo que, na vida de qualquer crente em Jesus, deve acontecer todos os dias. 
Diligência do crente (veja 2 Pedro 1:5-8). A nossa fé cristã deve ser mais do que acreditar em certos factos. É preciso que ela se projecte em acções concretas, tais como, por exemplo, o desenvolvimento do carácter cristão, a disciplina moral, a prática de boas obras etc. Na passagem bíblica citada, o apóstolo Pedro refere uma sequência de “passos” que, com toda a diligência, o crente deve ir “acrescentando” uns aos outros no processo da sua santificação. “Por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude o conhecimento, e ao conhecimento o domínio próprio, e ao domínio próprio a perseverança, e à perseverança a piedade, e à piedade o amor fraternal, e ao amor fraternal a caridade.”
Santificação total (1 Tessalonicenses 5:23). “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” Na nossa qualidade de crentes em Jesus não podemos evitar todo o tipo de mal que nos rodeia, pois vivemos num mundo pecaminoso. Podemos, no entanto, certificar-nos de que não estamos servindo de “ponto de apoio” para que o mal se multiplique no mundo. Numa vivência diária em comunhão com Deus, evitaremos as situações tentadoras se nos concentrarmos na obediência ao Senhor, vivendo para Sua glória.